domingo, 13 de Janeiro de 2013


GLOSSÁRIO ILUSTRADO

Abrir Jogo – Forma de jogar colectivamente com os jogadores mais abertos ( distanciados), executando passes longos, de forma a criar espaços na defesa adversária.

Adaptação Defensiva – Manobra de ajuste defensivo, tendo em conta o ataque.

Agressividade – Estado de tensão fisica e mental do jogador para pressionar o adversário de posse de bola ou impedir que um jogador contrário possa receber a bola em condições.

Ajuda – Principio de colaboração entre jogadores de uma equipa na defesa.

                                Fig. 1

Ala – Esquerdo ou Direito. Posição do jogador que joga pelas alas.

                                Fig. 2

Amplitude – Ataque no sentido transversal (largura) do campo.

Ângulo de Passe – Cone de espaço existente entre o passador e o receptor. Não confundir com Linha de Passe.
                                Fig. 3

Antecipação – Acção defensiva que consiste em antever os movimentos de ataque para se adiantar no espaço e no tempo ao adversário, impedindo a recepção da bola.

Apoio – Principio de colaboração entre jogadores de uma equipa no ataque. Jogador em condições de receber a bola, para facilitar a acção do colega de posse de bola.

                                Fig. 4

Aquecimento – É a preparação especial do organismo dos jogadores através de um conjunto de exercícios executados antes do início do jogo.

Área de Grande Penalidade – Em cada topo de campo, a 6m de distância de cada poste da baliza, está traçado um semi-círculo perpendicular à linha de baliza o qual se prolonga no interior do campo num raio de 6m. A parte superior deste semi-círculo é uma linha recta de 3,16m . exactamente paralela à linha de baliza entre os dois postes da baliza. O espaço compreendido no interior deste semi-círculo denomina-se de Área de Grande Penalidade.

                                Fig. 5

Assistência ou Último Passe – Passe ao colega que consegue rematar para golo.

Atacar – Acção de quem tem a posse de bola e dentro dos princípios de jogo lhe compete procurar o golo. Também se pode utilizar no sentido defensivo de “atacar a bola ...”.

Ataque Planeado ou Ataque Organizado – É o conjunto de acções ofensivas coordenadas na procura da finalização em dado momento de jogo.

Atitude – Disposição e estado de tensão fisica e psicológica do jogador em jogo.

Atitude Defensiva – Posição básica defensica que nos permite reagir rapidamente ao ataque.

Balizas – As balizas estão colocadas no centro de cada linha de baliza. A distância que separa os dois postes é de 3m e o bordo inferior da barra transversal situa-se a 2m do solo.

                                Fig. 6

Barreira – Forma de colocação dos jogadores defensores ante a bola, para tapar o ângulo de remate à baliza, nas faltas.
                                Fig. 7

Bater de Primeira ou de Segunda – Momento de finalizar uma acção ofensiva coordenada, em que remata à baliza o primeiro ou segundo jogador que vem em apoio do jogador de posse de bola.  

                                Fig. 8

Blocagem – Acção do GR deter e controlar a bola com ambas as mãos.
Podemos dividir a blocagem em três tipos, sendo classificados de acordo com a altura a que a bola chega.Alta, Média ou Baixa.

Bloqueio ou Cortina – Acção ofensiva que consiste na interposição à acção defensiva de um adversário, para libertar um colega da marcação. Pode ser directa ou indirecta, consoante o colega tenha a posse de bola ou não.
                                Fig. 9

Bola – Esférico feito de couro ou material equivalente, com uma circunferência de 64 cm no máximo e 62 cm no mínimo, pesa entre 400 e 440 g no começo do jogo e tem uma pressão que pode variar entre 0,4 e 0,6 atmosferas.

Bola ao Solo – Depois de uma interrupção temporária do jogo, o jogo deve ser recomeçado com uma bola ao solo.

Bola Fora do Jogo – A bola está fora do jogo quando :
- Atravessar completamente a linha de baliza (linha de fundo) ou linha lateral, quer junto ao solo quer pelo ar.
- O jogo seja interrompido pelo árbitro.
- Toque no tecto.

Circulação, Movimentação ou Rotação – Defne-se como o conjunto de acções ofensivas coordenadas entre si, dentro de um ou mais Sistemas Ofensivos, que tem como objectivo a manutenção da posse de bola e a preparação da acção ofensiva com passe de roptura para finalização, de modo a conseguir o golo.

                                Fig. 10                            Exemplo de Circulação 3:1



Cobertura – Forma de ajuda defensiva ou ofensiva.

                                Fig. 11

Cobrir a Bola – Diz-se quando o jogador de posse de bola, se interpõe entre a bola e o opositor, de modo a que este não lhe possa tocar.

Colocação – Conceito de dupla referência, quanto à técnica (posição) e à táctica (situação). Compensação ou cobertura. É uma forma de ajuda defensiva . Posição defensiva para se opôr a um atacante que ultrapassou um colega.

Condução – Acção de transporte de bola de forma controlada.

Contenção – Aplica-se quando se pretende retardar um ataque ou defender mais recuado.

Contra-Ataque ou Ataque Rápido – Acção de jogo ofensivo rápido e em superioridade numérica ou posicional. Acção de resposta rápida ao ataque adversário.

                                Fig. 12

Controle de Bola – Acção do jogador que domina a bola.

Defesa – Função da equipa que não tendo a posse de bola, tem como objectivo tentar impedir que a equipa adversária consiga atingir os objectivos no ataque, o golo.
Também definida como uma acção do GR na guarda da sua baliza.

Defesa Activa – Aplica-se quando se pretende ganhar rapidamente a posse bola, criando situações de superioridade numérica.

Defesa Homem a Homem (H x H) –
Sistema defensivo colectivo onde cada defensor faz marcação individual.

                                Fig. 13

Defesa Mista – Sistema defensivo colectivo, onde parte dos jogadores fazem marcação por zona e outros individual.

Defesa Passiva – Aplica-se quando se joga defensivamente na expectativa ou também, quando a equipa está com falta de agressividade defensiva.

Defesa em Quadrante – Sistema defensivo colectivo, que é um misto de marcação individual e marcação por zona, está condicionado ao posicionamento da bola e ao Sistema Ofensivo da equipa adversária no momento. O espaço defensivo é dividido em Quadrantes ( Quadrados e Triângulos) imaginários, onde cada jogador terá o seu espaço definido nas suas acções defensivas.

                                Fig. 14

Defesa Zona – Sistema defensivo colectivo, onde cada jogador tem um espaço definido para defender. A marcação é feita colectivamente (em bloco) consoante a posição da bola.     

                                Fig. 15
  
Desdobramento – Movimento de um jogador para ocupar o lugar deixado livre por um colega que se integrou no ataque.

Deslocamento – Acção de movimento do GR. Partindo da posição de espera/alerta, o GR deve deslocar-se lateralmente sem cruzar os pés  e sem encostar um pé ao outro.
O deslocamento numa situação próxima de defesa, deve ser feito na ponta dos pés facilitando o desequilibrio do corpo para uma possivel defesa.

Desmarcação – Movimento no ataque para se libertar da marcação ou vigilância do defensor contrário.

                                Fig. 16

Diagonal – Movimento ofensivo caracterizado por uma entrada na direcção da baliza contrária, feita diagonalmente em relação à linha lateral. 


                                Fig. 17

Dois Contra Um – Acção de dois defensores para um atacante.

                                Fig. 18

Dois Para Um ( 2x1 ) – Acção de dois atacante para um defesa.

                                Fig. 19

Drible – É o modo segundo o qual, um jogador ultrapassa o seu opositor, sem perder o domínio da bola.

Encosto – Acção de empurrar ombro a ombro o oponente com o fim de obter vantagem na disputa do lance.

Entrada – Movimento ou trajactéria de cariz ofensivo de penetração na defesa contrária. Pode ser interna (pela frente do defensor) ou externa (pelas costas). Também se aplica em sentido defensivo, quando um jogador pretende ganhar a posse de bola ao seu directo opositor, numa disputa rápida e instantânea.

                                Fig. 20

Entre Linhas – Diz-se quando o apoio ao portador da bola é feito entre duas Linhas Defensivas.


                                Fig. 21

Equilibrio Defensivo – Significa encontrar o posicionamento defensivo da equipa.

Espaço Defensivo – Podemos definir como o espaço delimitado pela linha da bola, linhas laterais e a linha de baliza (linha de fundo) da equipa que defende.

                                Fig. 22

Espalmar ou Desviar – Acto do GR tocar na bola com a palma da mão fazendo com que se desvie da sua trajectória numa tentativa de defesa no caso de remates muito potentes e posições que impeçam o agarrar a bola.

Esticar Jogo – O mesmo que dar profundidade ao jogo. Jogar no mais no sentido longitudinal (comprimento) do campo.

Estiradas ou Quedas – Executam-se as estiradas ou quedas laterais, com o objectivo de colocar o corpo numa posição favorável que possibilite uma defesa numa bola fora do alcance do GR.

Faltas Acumuladas – São todas as sancionadas com pontapé-livre directo a que se referem a Lei 12 das Leis do Jogo. As cinco primeiras faltas acumuladas por cada equipa em cada periodo de jogo, deverão ficar registadas no boletim de jogo.

Filosofia de Jogo – Forma particular de interpretar ou entender o jogo.

Finalização – Concretização com remate de uma acção ofensiva individual ou colectiva.

Finta – É a acção segundo a qual um jogador engana o seu opositor para ganhar vantagem, com ou sem bola. Pode-se considerar a SIMULAÇÃO como uma finta.

Fixo ou Central – Posição defensiva mais atrasada de um jogador de campo.

                                Fig. 23

Fundamentos – Técnicas a que recorrem os jogadores para resolver situações de jogo.
  
Golo – Um golo é marcado quando a bola transpõe completamente a linha de baliza, entre os postes e por baixo da trave.

Guarda-Redes – Jogador encarregado de defender a baliza. Único jogador com função e regras especificas no jogo. É o único jogador autorizado a jogar a bola com as mãos dentro da área e tem limitação regulamentada quando joga com os pés.

Inferioridade Numérica – Aplica-se defensivamente numa acção, quando há desigualdade de jogadores.

                                Fig. 24

Intercepção – Acção defensiva que visa impedir que um passe ou um remate à baliza chegue ao seu destino, através da interposição na sua trajectória.

Intervalo – O intervalo entre as duas partes do jogo, não deve exceder os 15 minutos.

Ir à Queima – Acção defensiva em disputa directa, de atacar a bola de forma instantãnea.

Jogada – Acção estratégica ofensiva.

Jogar Curto – O mesmo que jogar apoiado ou com os jogadores mais juntos.

Jogar na Frente – Posicionamento do defensor relativamente ao atacante, para obstar a que este possa receber um passe.
                                Fig. 25

Jogo Aberto – Situação de jogo onde se cria espaço livre para o 1x1 com poucas ajudas defensivas.

Lançamento – lançamento, é o passe do GR aos companheiros de equipa, realizado com a mão.

                                Fig. 26

Lançamento de Baliza – O lançamento de baliza é uma das formas de recomeço do jogo. Um golo não pode ser marcado directamente de um lançamento de baliza.
Um lançamento de baliza será concedido quando a bola é tocada em último lugar por um jogador da equipa atacante e ultrapassa totalmente a linha de baliza (linha de fundo), quer seja rente ao solo ou pelo ar, sem que um golo tenha sido marcado em conformidade com a Lei 11 das Leis do Jogo.

Ler o Jogo – Principio que consiste em decifrar a estratégia (defensiva ou ofensiva) da equipa adversária, de modo a melhor poder contrariá-la.

Linha da Bola – É uma linha imaginária, paralela à linha de baliza, tirada do ponto onde se encontra a bola no momento.
                                Fig. 27

Linha Defensiva – São linhas imaginárias paralelas à linha de baliza, definidas pelo posicionamento dos jogadores dentro de um Sistema Defensivo.

                                Fig. 28       Linhas Defensivas num posicionamento em Losango


                                Fig. 29        Linhas Defensivas num posicionamento em Quadrado

Linha de Defesa ou Marcação – É uma linha imaginária, paralela à linha de baliza, a partir da qual a equipa que defende, pressiona o portador da bola.

Linha 1 – Será uma linha imaginária que passa na marca dos 10 M no meio campo adversário. Apropriado a uma defesa de pressão alta.

Linha 2 – Uma imaginária tangente ao circulo central ainda no meio campo adversário.
Apropriado a uma postura de observação e estudo da equipa adversária.

Linha 3 – Uma linha imaginária que passa na marca dos 10 M no meio campo defensivo. Apropriado a uma postura de espera, apostando em acções ofensivas de transicção.
                                
                                Fig. 30

Linha de Passe – Linha imaginária existente entre o atacante de posse de bola e um possivel receptor do passe.
                                Fig. 31

Linha de Remate – Linha imaginária entre o atacante de posse de bola e a baliza.

                                Fig. 32

Marca de Grande Penalidade – Sobre uma linha imaginária perpendicular ao meio da linha de baliza entre os postes e a 6m desta linha, está feita de forma visivel, uma marca que se denomina Marca de Grande Penalidade.
                                Fig. 33

Marcação – Acção de sentido defensivo individual. Pode ser individual, indivodual por vigilância ou por zona.

Marcação Individual – Acção defensiva individual onde o defensor tem a responsabilidade de marcar o seu opositor directo, acompanhando os seus movimentos por todo o campo.

                                Fig. 34

Marcação à Zona – Acção defensiva individual onde o defensor tem uma zona restrita sob sua responsabilidade. Contráriamente à marcação individual, aqui o importante não é o opositor, mas sim o espaço que temos de defender.

                                Fig. 35

Mudança de Ritmo – Alteração de velocidade no movimento ofensivo, para ganhar vantagem sobre o defensor.

Padrão ou Modelo de Jogo – Podemos definir como o conjunto de acções defensivas e ofensivas integradas num ou mais Sistemas, onde a equipa se sente mais confortável durante o jogo.

Paralela – Movimento ofensivo, caracterizado por uma entada na direcção da baliza contrária, feita paralelamente à linha lateral.

                                Fig. 36

Partes do Jogo – O jogo compreenderá dois periodos iguais de 20 minutos cada um.

Passe – Forma dos jogadores comunicarem entre si com a bola. O passe pode ser curto ou longo, rasteiro ou por alto, com efeito ou em elevação.

Passe em Elevação – Diz-se de passe efectuado por alto, com execução técnica particular.

Pisar – Acção técnica ofensiva que consiste em parar a bola com a planta do pé, passando-a ao colega.

Pivot – Posição do jogador atacante mais adiantado. É o jogador que fruto do seu posicionamento, mais vezes joga de costas para a baliza adversária.

                                Fig. 37

Polivamente ou Universal – Aplica-se ao jogador que através das suas caracteristicas fisicas e técnicas, se pode adaptar a qualquer posição num Sistema de Jogo.

Pontapé de Canto – O Pontapé de Canto é uma forma de recomeço do jogo. Um golo pode ser marcado directamente do Pontapé de Canto, mas únicamente contra a equipa adversária. Um Pontapé de Canto é assinalado quando a bola, tocada em ultimo lugar por um jogador da equipa defensora, ultrapassa completamente a linha de baliza(linha de fundo), quer seja rente ao solo ou pelo ar.

                                Fig. 38

Pontapé de Grande Penalidade – Um Pontapé de Grande Penalidade deve ser assinalado contra a equipa que cometa, dentro da sua própria área de grande penalidade e no momento em que a bola esteja em jogo, uma das dez faltas punidas com pontapé livre-directo.

                                Fig. 39

Pontapé de Linha Lateral – O Pontapé de Linha Lateral é uma forma de repor a bola em jogo. É concedido quando a bola ultrapassa totalmente a linha lateral, quer seja pelo solo ou pelo ar ou tenha tocado no tecto, no local em que a bola ultrapassou a linha lateral, à equipa adversária do jogador que tocou a bola em último lugar.
                                Fig. 40

Pressing – Marcação intensa, sobre uma parte ou a totalidade dos jogadores da equipa adversária, com o objectivo de obstar à sua progressão atacante. Forma de defesa que propicia uma rápida recuperação da posse de bola.
                                Fig. 41

Pressionar – Acção defensiva que consiste numa atitude agressiva sobre o adversário, provocando o erro. Acção que pode ser desenvolvida de uma forma individual ou colectiva.

                                Fig. 42

Profundidade – Ataque no sentido longitudinal(comprimento) do campo.

Quebra ou Mudança de Direcção – Mudança de direcção no movimento ofensivo de entrada na defensiva contrária, para ganhar vantagem sobre o seu opositor directo.

                                Fig. 43

Recepção – Gesto técnico de receber a bola, amortecendo-a e mantendo-a sob o seu controle.

Recepão Orientada – É a recepção em que o jogador antecipa o movimento seguinte e num só movimento, deixa a bola jogável para dar seguimento à jogada. Utiliza-se bastante na recepção de sola, preparando a bola para fazer passe ou remate. 

Recuperação de Bola – Acção de voltar a ganhar a posse de bola.

Recuperação Defensiva ou Retorno – Acção de uma equipa ou de um jogador recuperar o posicionamento ou equilibrio defensivo, após uma acção ofensiva.

                                Fig. 44

                                Fig. 45
 
Remate – Gesto técnico de finalização de uma acção ofensiva.

Rodar – Acção caracteristica do jogador pivot, que recebendo a bola de costas para a baliza, roda e finaliza.
                                Fig. 46

Saída – Termo que se pode aplicar em diversas situações de jogo, dependendo do seu contexto, tais como :
- Acção defensiva do GR saindo da sua área restrita, para dificultar a acção do atacante.
- Acção ofensiva da equipa de posse de bola, que jogando sob pressing, faz “saida” de pressão.
- Jogada estudada para começo ou recomeço de jogo. Bola de saída.

Saída de Pressão – Conjunto de acções ofensivas coordenadas, que tem por objectivo ultrapassar a pressão defensiva da equipa adversária. Pode ser directa ou em abertura.

                                Fig. 47

                                Fig. 48

Segunda Marca de Grande Penalidade – Sobre uma linha imaginária perpendicular ao meio da linha de baliza, entre os postes, a 10m desta linha , está feita de forma visivel, uma marca que se denomina Segunda Marca de Grande Penalidade.

                                Fig. 49

Simulação – Acção de finta de entrada sem bola, tentando ganhar vantagem sobre o opositor (marcador directo), de forma a poder receber a bola.

                                Fig.50

Sistema – É o modo pelo qual os jogadores são distribuidos em campo, ocupando-o em largura e profundidade, bem como, a sua coordenação nas acções colectivas.

Sistema de Jogo Defensivo – Conjunto de acções defensivas coordenadas de uma equipa, executadas segundo um padrão de jogo, com o objectivo de defender a sua baliza, contrariando as acções ofensivas contrárias.

Sistema de Jogo Ofensivo – Conjunto de acções ofensivas coordenadas de uma equipa, executadas segundo um padrão de jogo, procurando criar desequilibrios com o objectivo de conseguir o golo.

Sobrecarga – Termo aplicado para atacar a defesa à zona, que proporciona uma superioridade numérica numa das alas.
                                Fig. 51

Sobreposições – Movimentos de intercepção dos jogadores trocando de posições.

                                Fig. 52

Subir – Termo defensivo para defender “mais à frente” ou “mais subido”. Também se aplica em sentido ofensivo, ou seja, mais apoio ao ataque.

Substituição – Troca de um jogador em jogo por um suplente.

Táctica – É o estudo, a coordenação e organização dos jogadores entre si, durante o jogo. É a preparação da equipa através de indicações básicas e definidas, que a par de informações sobre o adversário, são planeadas com a finalidade de o suplantar.

Tapar ou Cobrir – Acção de defender determinado espaço do campo, para dificultar as acçoes ofensivas.

Técnica – Significado de eficácia na execução.

Tempo Morto – As equipas têm a possibilidade, através do treinador, de pedir um minuto de tempo morto em cada um dos periodos, mas só será permitido quando a equipa estiver de posse de bola.

Temporização – Podemos definir como a acção de retardar o ataque adversário ( normalmente em superioridade ou igualdade númerica) até que chegue a ajuda defensiva. 

                                Fig. 53

Timing – É o momento certo no tempo e no espaço, para realizar uma acção no jogo.

Tocar e Saír – Aplica-se em acção ofensiva colectiva de fazer passar a bola e entrar na defesa contrária, com o objectivo de deslocar a mesma, para assim, criar espaços.
Bastante aplicado no Sistema 4:0.

                                Fig. 54

Trabalhar o Ataque – Termo aplicado para serenar o jogo, no sentido da equipa trabalhar o ataque planeado.

Transicção –Ataque / Defesa : Momento em que se perde a posse de bola e começa a recuperação do equilibrio defensivo. Defesa /Ataque : Momento em que se ganha a posse de bola e se prepara o ataque. 

                                Fig. 55

                                Fig.56

Triângulo Defensivo – Define-se como uma figura geométrica (triângulo) imaginária, conseguida pelo posicionamento de três jogadores, cujos vértices são o marcador ao portador da bola e outros dois jogadores que estão posicionados de modo a cortarem linhas de passe e fazerem ajudas e coberturas defensivas.
                                Fig. 57

                                Fig. 58

Triângulo Ofensivo – Define-se como a figura geométrica (triângulo) imaginária, conseguida pelo posicionamento de três jogadores, em que os vértices são o portador da bola e outros dois jogadores estão posicionados de modo a lhe darem apoio e cobertura ofensiva.

                                Fig. 59

                                Fig.60

Trivela ou Bola Cortada – Efeito que se dá à bola no passe ou remate, com a parte exterior do pé, descrevendo a mesma uma trajectória curva.

Trocas ou Permutas – Acção dos jogadores, por troca de posições no campo.
Podem ser defensivas (Trocas)ou ofensivas (Permutas).    

Vigilância – Observação por um jogador defensor, do movimento e atitudes de um jogador adversário, que não intervém directamente no jogo.

                                Fig. 61

Variante – Possível solução alternativa às definidas, respeitando o padrão de jogo.

Visão Periférica – Capacidade de ver em amplitude.

Zona de Substituições – A zona de substituições situa-se do mesmo lado em frente de cada banco dos técnicos e substitutos, dessa mesma equipa, ou seja no lado do meio campo de cada equipa que actua como defensora.
 
                                Fig. 62